Fim dos likes no Instagram! E agora?

Dois toques e um coração na tela. Marca registrada do Instagram desde a criação da rede social, as curtidas (ou likes) foram ocultadas. Na manhã da última quarta-feira, 17/07, o Instagram anunciou o fim dos contadores de likes das publicações. Agora, apenas o criador do perfil poderá ver a quantidade de curtidas de cada post.

A medida gerou controvérsia, apesar da intenção do Instagram parecer realmente ser boa, já que a plataforma garante que a restrição deve tirar a pressão de cima do usuário e deixar o ambiente menos tóxico e competitivo. “Nós queremos que os seus seguidores foquem no que você compartilha, não em quantas curtidas seus posts têm”. 

Há quem veja a mudança como algo favorável à saúde mental. Seria, também, uma maneira de combater as fábricas de likes comandadas por empresas especializadas na compra e venda de interação digital.

Agora, a internet está dividida entre os que não gostaram da possibilidade de ter sua quantidade de likes escondidos e aqueles que adoraram a ideia de postar suas fotos conceituais sem o risco da baixa interação.

Por outro lado, há quem se pergunte como influenciadores digitais se adaptarão à medida, para além de quem usa a rede de forma recreativa.

Instagram para Negócios

"E agora Conrado, quem poderá nos influenciar digitalmente?"

Para suprir a carência de likes e continuar agradando sua audiência (nem que seja só os seus amigos mesmo), os usuários precisarão se dedicar à criação de conteúdos mais relevantes, autênticos e que realmente tenham impacto sobre as outras pessoas. 

No entanto, existem dois caminhos possíveis: um Instagram recheado de conteúdo criativo, inspirador, motivador, e tudo de bom, ou uma manada de usuários migrando para outras redes sociais em que seja possível ter um contador público de curtidas. 

O Instagram sabe muito bem que o negócio de influência digital é imenso e gira muito dinheiro. E os likes “escondidos” do grande público podem dificultar a vida das marcas que tendem a escolher influenciadores no Instagram de acordo com suas taxas de engajamento e alcance. A solução mais simples para quem depende dessas métricas para conseguir trabalho é investir em um bom mídia kit, uma vez que o dono do perfil terá acesso aos dados.

Se parar para pensar, os likes sempre foram uma moeda falsa, já que a quantidade de contas falsas inflam facilmente esse número, que nem sempre representa o real desempenho do conteúdo, mas sim uma maneira mais fácil de comparar as publicações e a suposta relevância dos perfis.

Portanto, há quem diga que essa atualização foi uma forma de protesto e crítica à busca incessante por likes. Será mesmo? Sua saúde mental com certeza vai agradecer o fim da disputa desesperada para ver quem tem mais like em uma selfie.

Um forte abraço,
Conrado Meneguetti

Deixe um comentário
Quer se manter atualizado e receber os nossos conteúdos? Inscreva-se aqui!

1 Comentário
Leone Martinez Albuquerque

Concordo INTEGRALMENTE com o \"os usuários precisarão se dedicar à criação de conteúdos mais relevantes, autênticos e que realmente tenham impacto sobre as outras pessoas.\" Chega de LIXO, queremos é o LUXO...

Responder
Conrado

É isso aí Leone!!

Responder