A maior foto jamais feita de Tóquio tem um zoom cavalar

O fotógrafo Jeffrey Martin ficou dois dias filmando e outros quatro meses para editar o panorama interativo que você está prestes a experimentar. Com 600.000 pixels de largura, seria como um banner de 50 por 100 metros impresso em resolução fotográfica. E sim, é tão incrível quanto parece. Martin disse que seu objetivo na criação de imagens enormes sempre foi o de estender os limites da percepção humana:

- É a idéia de criar uma visão que estende literalmente nossos sentidos muito além do que podemos sentir por nossa conta. Esta imagem mostra ordens de magnitude de coisas que a gente só pode ver quando está realmente lá. Mesmo se estivéssemos em uma Torre de Tóquio com binóculos ou um telescópio, não teríamos o mesmo alcance mostrado nesta fotografia".

Martin, fundador do 360Cities.net, um site onde os fotógrafos podem fazer upload de imagens em 360° de belas localidades ao redor do globo, não é estranho neste meio. Ele até já criou uma imagem que é maior do que esta, apesar de que a atual é a sua favorita. É um composto de mais de 8.000 fotos, feitas ao longo de dois dias a partir do telhado do observatório inferior da Torre de Tóquio. Ele fez 20 panoramas como este ao longo da última década e diz que seu processo é quase uma ciência:

  - "Eu uso uma SLR Canon (neste caso, um 7D) e uma lente de 400 milímetros (neste caso uma lente de 5,6 L Canon) montada sobre um robô Clauss Rodeon que é controlado por um computador portátil com amarras para mover a câmara e disparar o obturador enquanto a câmera está em movimento. Isso requer a criação de uma velocidade de obturador muito rápida, obviamente, e devo ajustar tudo para que a imagem seja captada corretamente sem nenhum borrão de movimento e uma quantidade mínima de ruído".


Clique na imagem abaixo para conferir:




Martin enfrentou outro problema, o tamanho máximo de uma imagem no Photoshop é de 300.000 pixels em qualquer orientação. Isso significa que, para criar uma única imagem perfeita, tinha um grande desafio. A imagem nunca realmente existiu como um único arquivo. No entanto, os dois arquivos se encaixam perfeitamente, por isso pode definitivamente ser considerada como uma única imagem.

Além disso tem também o problema do espaço em disco. Várias iterações da imagem em andamento comiam dezenas e dezenas de gigabytes. As versões finais da imagem são de 100GB cada. Ele também precisou de mais de 1,5 terabytes de espaço em disco para usar como "disco de trabalho" ao fazer a montagem final e retoque da imagem. O computador que ele usou tinha 192GB de RAM, e ainda assim travou algumas vezes.

Enfim, é hora de você dar uma olhada na imagem. Talvez você até encontre um "easter egg" em algum lugar lá dentro. Em algum lugar tem um homem dormindo no chão, em outro é possível ver uma japonesa pelada sem calcinha tomando banho, basta procurar.


Fonte: MDIG


Conte-nos sobre Seu Projeto