IPO do Facebook tem faixa de preço entre US$ 34 e US$ 38 por ação

Antes, rede social tinha fixado valor entre US$ 28 e US$ 35 por título.
Após IPO, empresa poderá ser avaliada acima dos US$ 100 bilhões.

A forte demanda de investidores pela oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) do Facebook levou ao aumento no preço dos papéis da rede social, conforme documentos enviados ao órgão regulador do mercado norte-americano.

O Facebook informou nesta terça-feira (15), em documentos remetidos à Comissão da Bolsa de Valores dos EUA (SEC, na sigla em inglês), que vai vender 337,4 milhões de ações em sua oferta pública inicial, com faixa de preço entre US$ 34 e US$ 38. Com isso, a rede social busca levantar mais de US$ 12 bilhões com o IPO.

Antes, em 3 de maio, o Facebook tinha definido o valor das ações entre US$ 28 a US$ 35 por papel. Se todos os títulos do Facebook forem vendidos pelo maior preço (US$ 38), a companhia poderá ser avaliada acima dos US$ 100 bilhões.

Depois do IPO, a rede social se tornará a maior empresa de internet a cotar na bolsa desde a estreia do Google, em 2004, que foi avaliado na época em US$ 23 bilhões.

O aumento da estimativa de preço pode avaliar o Facebook em entre US$ 93 bilhões e US$ 104 bilhões, rivalizando com potências da internet como Amazon e superando o valor combinado de Hewlett-Packard e Dell.

Wall Strett já esperava que a rede social aumentasse a faixa de preço diante do interesse dos investidores. O Facebook pretende encerrar o período de reserva de seu IPO no final desta terça-feira (15), dois dias antes do previsto, num sinal de que a operação atraiu forte demanda de investidores.

Diferentes meios da imprensa publicaram na segunda-feira (14) que o Facebook fixará o preço final na quinta-feira (17) e suas ações começarão a cotar um dia depois no índice Nasdaq sob o símbolo "FB".

Futuros milionários
O quadro de funcionários da rede social subiu de 700, no final de 2008, para mais de 3 mil em 2011. Como a empresa usa ações como forma de remuneração, fontes da agência Reuters disseram em dezembro passado que, mesmo sob uma estimativa conservadora, pode haver mais de 1 mil pessoas destinadas a receber mais de US$ 1 milhão em ganhos quando a empresa abrir seu capital.

Os primeiros funcionários do Facebook, que receberam participações acionárias, e os primeiros investidores do setor de capital de risco receberão as maiores recompensas, afirma a reportagem. Estima-se que Zuckerberg detenha pouco mais de um quinto da companhia, de acordo com David Kirkpatrick, autor de "The Facebook Effect". Mas o dinheiro também beneficiaria engenheiros, vendedores e outros funcionários contratados mais tarde, já que a maioria recebe salários e mais alguma forma de remuneração relacionada a ações.

Facebook foi fundado em fevereiro de 2004 nos dormitórios dos alunos na Universidade de Harvard por Mark Zuckerberg, Chris Hughes, Dustin Moskovitz e o brasileiro Eduardo Saverin. Já no meio de 2004, a rede social recebeu sua primeira rodada de investimentos, feita por Peter Thiel, no valor de US$ 500 mil. O nome inicial do site era Thefacebook.

Atualmente o Facebook tem sua sede em Menlo Park, na Califórnia, e 3.200 funcionários. Mark Zuckerberg é quem tem mais ações na companhia, com 56,9% (informações prévias ao IPO).

* Com informações da Reuters, EFE e France Press.

Conte-nos sobre Seu Projeto